Perco-me nas palavras,
Navego entre as letras,
Vôo de encontro aos versos.
Pouso em suave relva,
Vivo em meio a selva.
Caço durante o dia,
O regaço do qual sorria.
Da vontade da alegria,
Em soluços me despia.
Nascimento do desejo,
No ecoar de meu segredo.
Na caneta meu torpor,
No papel pôs a compor.
Na verdade de criança,
Encontrei a esperança.
Na mentira da menina,
Escondeu-se a auto-estima.
Vivi a incoerência,
Cai na indecência.
Na poltrona me larguei,
De meus medos me livrei.
No aconchego de meu lar,
Com as frases a trovar.
Um cigarro, um café,
O levante da maré.
Os amigos vêm chegando,
A lareira esquentando.
Na casa a porta aberta,
Só nos deixa um alerta.
Se entrar venha sorrindo,
A amizade esta surgindo.
Um Sarau interminável,
És Prefácio inigualável.
 

Clique na Figura e
Envie sua Mensagem


O envio que envia rapidinho !!!




Desde 05.02.2005,
a sua é a visita número



Direitos Autorais Registrados ®


 


 

Carregando ...
   Por Favor, Aguarde ...
*** AQUARELA POÉTICA - Cantando a vida em versos coloridos ! ***