MARILENE MEES PRETTI






 

Olhando o céu negro e misterioso...

Pontilhado por milhões de estrelas...

Senti-me pequena... Diante o poderoso.

Quem sou? Que faço aqui nesta cadeira?

 

Perguntas mil sem respostas...

Diante a beleza Universal.

Quanto mais se olha... Mais se gosta.

De perguntar ao Espaço Sideral.

 

As estrelas são olhos me observando...

E me pergunto qual é o olhar de meu pai.

Sei que deve estar sempre me vigiando...

Mas qual dos brilhos é seu olhar, papai?

 

Sinto tua presença quando olho o céu...

Pois sei que lá estás... Junto de DEUS.

Envolto em brumas... Revoando em véus...

Protegendo-me... Vendo os sonhos meus.

 

Tudo que tenho na vida realizado...

Sei que tem um pouco de tua vontade.

Tu...Que no silêncio se comunicava...

Sei que se puderes... Fará-me bondade.

 

Depois que te fostes... Tanto aconteceu!

Sei que me olhavas e me protegias.

Mesmo sabendo que pelo caminho meu...

Tinha que passar... E lutar sozinha.

 

E quando me sinto fraquejar...

Procuro teus olhos nas estrelas brilhantes.

Sei que em silêncio eles vão falar...

Aconselhando-me... Como fora dantes.







11/03/2005





 

Clique na figura
envie sua mensagem


O envio que envia rapidinho !!!
 




Desde 05.02.2005,
a sua é a visita número


Direitos autorais registrados®