O poeta se expõe ao leitor...
E a alma ele desnuda...
Sem receio de abrir-se...
Mesmo que a alguns desiluda.
 
 

Conta a vida em palavras...
Convexas... Côncavas... Desanexas...
Concretas... Ocas...
Tresloucas... E poucas.
 
 

Não importa... Não saber verbalizar...
Não pode é deixar escapar...
O sentimento do momento.
Não importa se for preciso chorar...
Se tiver vontade de cantar...
Ao som do vento.
 
 

Tudo para o poeta é motivo...
De relatar fatos... Amores...
Nem que para isso precise...
Revelar todas as suas dores.
 
   
 
18/02/2003





 

Clique na figura
envie sua mensagem


O envio que envia rapidinho !!!
 




Desde 05.02.2005,
a sua é a visita número


Direitos autorais registrados®