Ali na areia

Na praia enluarada

Andava desavisada

Pés nus pisando macio

Nos braços sentindo frio.

Ali na areia

Da praia...

À frente tive uma visão

Pensei fosse ilusão

Feliz vi...

 Não era não.

Vinha você...

 Bonitão...

E sem querer

Num encontrão

Fitamos olhos nos olhos.

Perdão...

Desculpas...

De montão.

Cada um para seu lado.

Meu filho

Formando-se na mente

Eu pronta a parir

Sem ter na mão material.

Agachei-me na praia então...

Com o dedo escrevi na areia

O poema que toda sereia

Nas águas do mar serpenteia.

As ondas então a dançar...

Vieram sapatear

Em cima do filho gerado...

Apagando meu legado.
 

27/06/05

Clique na figura
envie sua mensagem


O envio que envia rapidinho !!!
 




Desde 05.02.2005,
a sua é a visita número


Direitos autorais registrados®