É o sol da madrugada,
o cantar do passarinho,
a rosa azul mais rara.

É o sonho do poeta,
a sagrada utopia
de sonhar ter-te um dia.

É a lágrima de sangue
dos dias de agonia,
é essa voz que murmura aqui,
no meu peito ...
acendendo meus sonhos.

Meu amor tem a força
de lançar estrelas e luar
nas minhas noites chuvosas...

É um vendaval sem norte,
não ter pálpebras enxutas
porque é amargo o pranto.

É a amorosa visão
dos sonhos coloridos
da adolescente
dos anos sessenta,
que fixou morada em mim
para sempre...

Meu amor é a alma
que o poeta diviniza.
É condão que abre
um mundo de magia...
É a balada triste
que me faz lembrar de ti

Meu amor é perfume
de flor aberta,
é luz de eterna mocidade,
é febre de momentos
não dormidos...

É essa crença que nutro
de ao teu lado,
mesmo no outono,
colher flores de primavera...
 




Poetisa sem igual

Mulher Fenomenal

Amiga de todas as horas.

Em Jô, como a chamo agora,

O que mais admiro

É seu desprendimento

Tudo que sabe ela ensina.

A ela devo muito do que sou hoje.

Conduziu-me por caminhos

Que me trouxeram aprendizagem.

Transmitiu-me por diversas vezes

Força de vontade e coragem.

Poetisa:

Para escrever o que gostaria sobre você

Precisaria um livro.

Então em poucas palavras

Deixo-te aqui bordado

Minha admiração

Minha eterna gratidão.

E minha sincera amizade.

 

Marilene Mees Pretti

04/08/05
 



Clique na figura
envie sua mensagem


O envio que envia rapidinho !!!
 




Desde 05.02.2005,
a sua é a visita número


Direitos autorais registrados®