MARILENE MEES PRETTI

Fiz uma fogueira,
De todo meu passado.
Joguei na churrasqueira,
Sonhos malogrados.
Arranquei da alma,
Dores e feridas.
Sinto-me mais calma...
E mais resolvida.
Tudo o que era mágoa...
Raiva e ressentimento...
Joguei no fogaréu,
Que queimou ao vento.
Queimaram-se amores...
Sonhos e rancores...
E também queimaram...
Todos os dissabores.
Separei, porém...
Tudo o que prestava...
Junto com os quais...
O que eu mais gostava.
Ficaram lembranças...
Momentos bem vividos...
E também deixei...
Planos resolvidos.
Queimei de um tudo...
Que trás sofrimento
Queimei tudo aquilo...
Que me era tormento.
Em grande sigilo...
Queimei sentimentos.
Queimei meu martírio.
Queimei meu ciúme...
Minha vida triste...
Igual sol sem lume.
Queimei todo o mal...
Que me sufocava...
Sinto-me liberta...
Do que me abortava.

Clique na figura
envie sua mensagem


O envio que envia rapidinho !!!
 




Desde 05.02.2005,
a sua é a visita número


Direitos autorais registrados®