Amor!
Pare com esse dengo.
Tenho pouco tempo.

Minha paixão explodindo
Com seu olhar me pedindo
Eu te devoro.

Passeio-te todinho
Ando por tuas trilhas
Entro por escotilhas
E navego...
Caio em tuas crateras
Como uma fera!

Sedenta de amor...
De desejo insano
Profano.

E quando te vejo
Somente o que desejo
É embrenhar-me por tua selva
Deitar-me na tua relva
E te devorar!
Até que supliques
Para eu parar.

 

27/04/06

Clique na figura
envie sua mensagem


O envio que chega rapidinho !!!
 




Desde 05.02.2005,
a sua é a visita número


Direitos autorais registrados®