Quem era ele?...
ninguém sabia...
leram a sua alma... alma de criança...
que nesse mundo louco... nasceu...
era um menino...
com suas brincadeiras...
travessuras... sofreu pela vida...
com isso amadureceu...
nos muros dessa vida...
muita cabeça bateu...
os anos foram passando...
alegrias... agonias... desgostos...
um homem duro tornou...
mas era uma armadura...
proteção pra outra guerra...
por dentro da carapaça...
a criança ainda vivia...
ela não tinha se ido...
vivia na letargia...
aquela pilha de anos...
depositada nas costas...
pela mão de uma fada madrinha...
que viu suas duras penas...
transformou aqueles anos...
num lindo manto de penas...
aturdido ele ficou...
nunca tinha tido penas...
com seu bico afiado...
uma pena da asa ele tirou...
e com essa pena então...
mergulhada no tinteiro das cores da sua alma...
nas cores do arco-íris...

Traçou as primeiras letras...
fez rabiscos... e da arquitetura da vida...
tirou todas as idéias...
arrumou-as com carinho...
nos ares montou mensagens...
montou planos... montou vôos...
as cores tomaram formas...
e num plano irreal...
com um toque inventivo...
levou-as pro virtual...
ficou linda... colorida...
muito sentimental...
precisava de um nome...
empunhando aquela pena...

Assinou...
ÁGUIA REAL

 

 

 

 
 

Somente Águia.

Às vezes Realeza.

Um amigo escondido atrás de um Pássaro

De rara beleza.

Seu nome? Não sei.

Seu coração? Grande! Alegre!

E como a Ave... Tem o poder de renovar-se.

E o  faz  também com os amigos.

ÁGUIA REAL... Do vôo magistral.

Que rege... Protege... E em suas asas...

De enorme envergadura

Leva-nos com ternura

Ao céu... Voando nas alturas!!!

 

Marilene Mees Pretti
 

03/08/05

Clique na figura
envie sua mensagem


O envio que envia rapidinho !!!
 





Desde 05.02.2005,
a sua é a visita número


Direitos autorais registrados®