Acabou a poesia

Nas mãos que tremem agonia.

Na mente que já não pensa

Na escuridão tão densa

No coração que não bate

No corpo que agora parte

No fogo que apaga

Na alma que agora ascende.

 


 

13/11/05

Clique na figura
envie sua mensagem


O envio que chega rapidinho !!!
 




Desde 05.02.2005,
a sua é a visita número


Direitos autorais registrados®